A História Como Ela Foi

passagens marcantes e curiosidades do Brasil e do mundo

 -

Produzido pelo jornalista Rodrigo Vizeu, blog conta detalhes de episódios do passado, com ângulos diferentes e destaques para aspectos menos conhecidos e mais inusitados.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Lula não via chances de Collor voltar e dizia torcer por sucesso de Itamar

Então presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Luiz Inácio Lula da Silva dizia torcer pelo sucesso do governo do presidente interino, Itamar Franco, após o afastamento de Fernando Collor. Em outubro de 1992, Lula afirmou à Folha: “Todos nós temos a obrigação de torcer para que o governo Itamar dê certo”. Ele citou “a obrigação(…)

Com dificuldade para bancar advogados, Collor questionou processo no Supremo

Assim como Dilma Rousseff, que recorreu ao Supremo Tribunal Federal contra pontos com que discordava de seu julgamento no Senado, o então presidente afastado, Fernando Collor, também buscou judicializar seu processo de impeachment. Uma das apostas de Collor foi a tentativa de que 29 dos 81 senadores fossem declarados impedidos de julgá-lo. Os alvos eram(…)

Alguns episódios que reforçam a sina de agosto, o mês do cachorro louco

Agosto promete, como contei na Folha nesta segunda-feira (1º). O mês que ganhou fama por ser dado a tempestades pode definir o destino de Dilma Rousseff e Eduardo Cunha e reforçar a impressão de que se trata do “mês do cachorro louco”, no qual as coisas mais inacreditáveis acontecem. A história brasileira deu sua contribuição para reforçar(…)

As inacreditáveis histórias do ditador que fez a rainha Vitória riscar a Bolívia do mapa

Em uma América Latina onde é difícil dizer qual caudilho praticou mais desmandos e arbitrariedades, desponta da Bolívia do século 19 um bom candidato a pior déspota do continente. Pouco lembrado fora das fronteiras bolivianas, o general Mariano Melgarejo, que governou o país andino entre 1864 e 1871 (época em que o Brasil era comandado pelo(…)

Hoje pró-impeachment, Caiado acusava golpismo em véspera de votação de afastamento de Collor

A véspera da votação do impeachment de Fernando Collor no plenário da Câmara dos Deputados deixava claro que o futuro do presidente ia a voto em clima de derrota. Só defenderam Collor quatro dos 38 deputados que discursaram na sessão de segunda-feira, 28 de setembro de 1992, única dedicada a debater o pedido de afastamento(…)

Em atos dominados pela esquerda, presidente da UNE defendia greve se Collor ficasse

“Vai acabar, vai acabar, essa mania de roubar”, entoava um dos gritos de guerra contra Fernando Collor. A mania não acabou, como anos e governos ensinariam, assim como continuariam a haver manifestações pelo afastamento de presidentes da República. Os protestos de 1992 se diferenciavam dos atuais pela predominância de PT, PC do B, CUT e(…)

Às vésperas de votação, aliado de Collor oferecia cargos e ‘Diário Oficial’ ‘gordo’

Na semana passada, Fernando Collor condenou a oferta de cargos para salvar Dilma Rousseff, afirmando que não recorreu a tal prática durante a crise que levou a seu impeachment. “Em nenhum instante houve qualquer tipo de negociação subalterna”, disse, segundo “O Globo”. No entanto, no fim de setembro de 1992, com a acelerada perda de(…)

Blogs da Folha